quinta-feira, 31 de agosto de 2017

Shortcutz Figueiró dos Vinhos - Melhor Direcção de Arte 2017: os nomeados

.
Na continuação da divulgação dos nomeados aos prémios do primeiro aniversário do Shortcutz Figueiró dos Vinhos, a organização anunciou hoje os nomeados ao prémio de Melhor Direcção de Arte.
São os nomeados:
  • 78.4
  • Arcana
  • Palhaços
  • Pronto, Era Assim
Os vencedores desta e das demais categorias serão conhecidos numa cerimónia a realizar no próximo dia 2 de Setembro na Casa da Cultura de Figueiró dos Vinhos.
.
.

Shortcutz Figueiró dos Vinhos - Melhor Banda Sonora 2017: os nomeados

.
Na continuação da divulgação dos nomeados aos prémios do primeiro aniversário do Shortcutz Figueiró dos Vinhos, a organização anunciou hoje os nomeados ao prémio de Melhor Banda Sonora.
São os nomeados:
  • #Lingo
  • Dentes e Garras 2
  • Ode
  • Turp
Os vencedores desta e das demais categorias serão conhecidos numa cerimónia a realizar no próximo dia 2 de Setembro na Casa da Cultura de Figueiró dos Vinhos.
.
.

Índice Médio de Felicidade (2017)

.
Índice Médio de Felicidade de Joaquim Leitão é a mais recente longa-metragem do realizador de Duma Vez por Todas (1987), Adão e Eva (1995), Tentação (1997), Inferno (1999), 20,13 (2006), Até Amanhã, Camaradas (2013) e Quarta Divisão (2013).
Daniel (Marco D'Almeida) é mais uma das inúmeras vítimas anónimas da crise que transformou a vida de toda a sua família muito rapidamente. Quando tudo começa a desmoronar, Daniel tem de dar um rumo à sua vida. Mas e se esse rumo fosse transformar a vida de outros que, tal como ele, se encontram em momentos de auto-transformação?
Baseada na obra homónima da autoria de David Machado que também escreve o argumento em colaboração com Tiago R. Santos, este Índice Médio de Felicidade divide-se em dois momentos muito concretos e difíceis de ignorar. O primeiro prende-se com a evidente mensagem que visa revelar ao espectador não só a transformação de todas as personagens como resultado directo de um conjunto de acontecimentos que de forma mais ou menos voluntária a todos afectou e, finalmente como sua previsível consequência, o rumo que cada uma destas personagens tomou quando deparados com a presente adversidade que os condicionava a uma de duas opções... ou enfrentar a adversidade e desistir... ou tomá-la como a tal rampa de lançamento para uma nova oportunidade que se fazia esperar.
O "Daniel" de Marco D'Almeida é inicialmente revelado ao espectador como um homem que esteve durante anos acomodado a uma vida confortável e, de certa forma, previsível. No entanto, e ainda que o espectador não sinta a tal "lavagem cerebral" sobre as oportunidades que chegam com o desemprego - argumento tantas vezes tentado nos idos tempos da crise onde quase parecia culpado aquele que não conseguia ter um trabalho -, não deixa de ser uma realidade que este mesmo pensamento parece querer habitar nas entrelinhas de uma história que avança pelo seu próprio passo. "Daniel" é um tipo que ainda no princípio dos seus quarentas, aparenta já algum desgaste emocional não só fruto da situação em que agora se encontra mas também pela perda - algures no tempo - da tal magia e do sonho que o faziam mover enquanto "ser" com a tal esperança. Casado, pai de dois filhos e com uma vida que parecia encaminhada, cedo perde os seus dois principais amigos... um "Almodovar" para as malhas da lei - e que nunca chegamos a conhecer -, e finalmente "Xavier" (Dinarte de Freitas) para uma depressão agorafóbica que o fizeram recolher ao interior das suas quatro paredes. Distantes e afastados de uma realidade comum, "Daniel" encontrou na sua vida pessoas e familiar o mínimo sustento para a alma que o levam a escrever as suas confissões, desabafar para ele próprio sobre os seus tormentos mas principalmente sobre os seus planos... afinal, só planeando um potencial futuro poderá ele dizer que está a viver de facto o seu presente... Mas, estará?!
Com tudo para se transformar num caminho amargo, desesperado e até mesmo desolado, "Daniel" na companhia de "Xavier" decidem então dar voz ao seu antigo sonho... um site que se propõe estabelecer elos de ligação com aqueles que precisam de ajuda facultando-lhes os mecanismos de concretização de sonhos ou de necessidades. Enquanto espectador e como pessoa que (assumo) mantenho ainda alguma esperança nesta Humanidade, é aqui que entre o meu descrédito para com este Índice Médio de Felicidade. Se por um lado ao assistir a esta longa-metragem até permanece em mim - e não só espero - a vã esperança de que de facto existam pessoas que se disponibilizem a ajudar o próximo numa viagem ao outro lado do mundo (ou pelo menos até Andorra e Barcelona), não deixa de permanecer naquele nosso lado "negro" da consciência o tal eterno pensamento... como pode esta pessoa que nada tem, que tudo perdeu e que procura um segundo rumo para a sua vida disponibilizar-se sem qualquer tipo de meios - financeiros pelo menos - embarcar numa viagem que... obviamente terá os seus gastos... colocando toda a sua vida em segundo plano. Como se isto não bastasse, existe a tal premissa do "desemprego como oportunidade" que permanece num constante e cada vez mais incomodativo ruído de fundo... Existirá assim tanto tempo, disponibilidade e até mesmo vontade para resolver os problemas alheios quando nem os próprios se conseguem satisfazer?
Se o grau de satisfação (da tal felicidade) resulta de forma proporcional como o inverso da insatisfação - logo infelicidade -, a viagem que então marca uma boa parte de Índice Médio de Felicidade é aquela feita por um conjunto de pessoas que estão à beira de um qualquer limite... "Mateus" (Tomás Andrade) o filho mais novo é o resultado de uma sociedade de consumo habituada a tudo fácil e rapidamente, "Vasco" (João Sá Nogueira) o fruto de uma juventude vivida à pressa. "Flor" (Ana Marta Contente) aparenta uma eufórica alegria como que alguém que já passou por um esgotamento, o próprio "Daniel" alguém que insiste em colocar a sua vida em segundo plano, "Alípio" (António Cordeiro) alguém que já passou por tudo e finalmente "Xavier" como o resultado directo de alguém que acordou cedo de um sonho que percebe não poder ser vivido... afinal, a sociedade tornou-se consumista e auto-centrada em demasia para que alguém se possa - ou queira - preocupar com as necessidades alheia que apenas podem ser satisfeitas se existir dinheiro que as sustente.
E aqui chega a grande questão... se existe uma certa mensagem de solidariedade em Índice Médio de Felicidade, esta chega sustentada com o tal "crise/desemprego como oportunidade", e se se tenta encontrar um consolo nas pequenas coisas da vida como, por exemplo, o retorno a um convívio mais saudável que dá lugar inclusive ao auto-conhecimento, a realidade é que tudo nesta longa-metragem parece encaminhar-se para um excessivo hype de optimismo que parece tentar consciencializar para a realidade tentada de que de facto todos os finais proporcionam um novo começo... quando na realidade, sabemos todos nós, a crise trouxe mais finais do que propriamente oportunidades de uma vida melhor. É este vislumbre de uma moralização da crise, das suas vítimas e até de uma sociedade que se percebe indiferente demais para (se) poder sobreviver que acaba por transformar o que poderia ser uma história diferente - na medida em que mostra a separação e perda de quem tudo teve - sobre a crise, bem como de todos aqueles que mais ou menos distantes acabam também por sucumbir às próprias redes desta sociedade... de certa forma perdida... onde tudo e todos se definem por um ideal de status medido - tal como a felicidade - por um emprego, uma casa, um carro e uma peça de roupa.
Das interpretações - feitas à medida - destacam-se um excêntrico Dinarte de Freitas que acaba por ter os discursos e diálogos mais lúcidos perdidos, no entanto, dentro da sua própria depressão e desistência do tal "sonho" e a interessante química que, de uma forma geral, todo o elenco consegue criar na sua viagem. Agradável a participação de uma sempre intensa Lia Gama que, no entanto, poderia e deveria ter um pouco mais de presença no ecrã - um bónus para todos os espectadores - deixando, no entanto, este Índice Médio de Felicidade por aqui nos elementos mais positivos. No final... permanecem as intenções de uma história que se assume, desde cedo, como um suposto guia para uma vida feliz... ou não estivesse o título já utilizado... um Guia para um Final Feliz.
.

.
6 / 10
.

quarta-feira, 30 de agosto de 2017

Shortcutz Figueiró dos Vinhos - Melhor Som 2017: os nomeados

.
Na continuação da divulgação dos nomeados aos prémios do primeiro aniversário do Shortcutz Figueiró dos Vinhos, a organização anunciou hoje os nomeados ao prémio de Melhor Som.
São os nomeados:
  • Arcana
  • Dentes e Garras 2
  • Post-Mortem
  • Pronto, Era Assim
Os vencedores desta e das demais categorias serão conhecidos numa cerimónia a realizar no próximo dia 2 de Setembro na Casa da Cultura de Figueiró dos Vinhos.
.
.

Shortcutz Figueiró dos Vinhos - Melhor Edição 2017: os nomeados

.
Na continuação da divulgação dos nomeados aos prémios do primeiro aniversário do Shortcutz Figueiró dos Vinhos, a organização anunciou hoje os nomeados ao prémio de Melhor Edição.
São os nomeados:
  • Arcana
  • Dentes e Garras 2
  • Ode
  • Post-Mortem
Os vencedores desta e das demais categorias serão conhecidos numa cerimónia a realizar no próximo dia 2 de Setembro na Casa da Cultura de Figueiró dos Vinhos.
.
.

Shortcutz Figueiró dos Vinhos - Melhor Fotografia 2017: os nomeados

.
Na continuação da divulgação dos nomeados aos prémios do primeiro aniversário do Shortcutz Figueiró dos Vinhos, a organização anunciou hoje os nomeados ao prémio de Melhor Fotografia.
São os nomeados:
  • Arcana
  • Bastien
  • Lux
  • Marasmo
Os vencedores desta e das demais categorias serão conhecidos numa cerimónia a realizar no próximo dia 2 de Setembro na Casa da Cultura de Figueiró dos Vinhos.
.
.

terça-feira, 29 de agosto de 2017

Shortcutz Figueiró dos Vinhos - Melhor Realização 2017: os nomeados

.
Na continuação da divulgação dos nomeados aos prémios do primeiro aniversário do Shortcutz Figueiró dos Vinhos, a organização anunciou hoje os nomeados ao prémio de Melhor Realização.
São os nomeados:
  • Arcana
  • Bastien
  • Post-Mortem
  • Pronto, Era Assim
Os vencedores desta e das demais categorias serão conhecidos numa cerimónia a realizar no próximo dia 2 de Setembro na Casa da Cultura de Figueiró dos Vinhos.
.
.

Shortcutz Figueiró dos Vinhos - Melhor Argumento 2017: os nomeados

.
Na continuação da divulgação dos nomeados aos prémios do primeiro aniversário do Shortcutz Figueiró dos Vinhos, a organização anunciou hoje os nomeados ao prémio de Melhor Argumento.
São os nomeados:
  • #Lingo
  • Lei da Gravidade
  • Post-Mortem
  • Vícios para uma Família Feliz
Os vencedores desta e das demais categorias serão conhecidos numa cerimónia a realizar no próximo dia 2 de Setembro na Casa da Cultura de Figueiró dos Vinhos.
.
.

segunda-feira, 28 de agosto de 2017

Mireille Darc

.
1938 - 2017
.

Shortcutz Viseu - Melhor Realização 2017: os nomeados

.
Foram divulgados há instantes pelo Shortcutz Viseu os últimos nomeados do ano relativos à categoria de Melhor Realização cujo vencedor será premiado pela ocasião do seu quarto aniversário.
São os nomeados:
  • A Instalação do Medo, Ricardo Leite
  • Jigging, Ramón de los Santos
  • Marasmo, Gonçalo Loureiro
  • Post-Mortem, Belmiro Ribeiro
Os vencedores desta e de todas as demais categorias serão anunciados na página oficial do Shortcutz Viseu a 13 de Setembro próximo não existindo, este ano, a realização de uma cerimónia oficial.
.
.

domingo, 27 de agosto de 2017

Shortcutz Viseu - Melhor Argumento 2017: os nomeados

.
Foram hoje divulgados pelo Shortcutz Viseu os nomeados na categoria de Melhor Argumento que será premiado pela ocasião do seu quarto aniversário.
São os nomeados:
  • A Instalação do Medo, Ricardo Leite
  • Lingo, Vicente Niro
  • Post-Mortem, João Silva Santos
  • Vícios para uma Família Feliz, Tiago R. Santos
Os vencedores desta e de todas as demais categorias serão anunciados na página oficial do Shortcutz Viseu a 13 de Setembro próximo não existindo, este ano, a realização de uma cerimónia oficial.
.
.

Shortcutz Figueiró dos Vinhos - Melhor Actriz 2017: as nomeadas

.
Na continuação da divulgação dos nomeados aos prémios do primeiro aniversário do Shortcutz Figueiró dos Vinhos, a organização anunciou hoje as nomeadas ao prémio de Melhor Actriz do Ano. São elas:
  • Sara Barros Leitão, Marta
  • Helena Canhoto, Vícios para uma Família Feliz
  • Tânia Figueiras Ribeiro, Prefiro Não Dizer
  • Margarida Moreira, A Instalação do Medo
Os vencedores desta e das demais categorias serão conhecidos numa cerimónia a realizar no próximo dia 2 de Setembro na Casa da Cultura de Figueiró dos Vinhos.
.
.

sábado, 26 de agosto de 2017

Tobe Hooper

.
1943 - 2017
.

Shortcutz Viseu - Melhor Fotografia 2017: os nomeados

.
Foram hoje divulgados pelo Shortcutz Viseu os nomeados na categoria de Melhor Actor que será premiado pela ocasião do seu quarto aniversário.
São eles:
  • Bastien, Leandro Ferrão
  • Jigging, Pedro Azevedo
  • Marasmo, António Pinheiro
  • Post-Mortem, Ivan Markelov
Os vencedores desta e de todas as demais categorias serão anunciados na página oficial do Shortcutz Viseu a 13 de Setembro próximo não existindo, este ano, a realização de uma cerimónia oficial.
.
.

Shortcutz Figueiró dos Vinhos - Melhor Actor 2017: os nomeados

.
Na continuação da divulgação dos nomeados aos prémios do primeiro aniversário do Shortcutz Figueiró dos Vinhos, a organização anunciou há instantes os nomeados a Melhor Actor do Ano. São eles:
  • Welket Bungué, Bastien
  • Nuno Janeiro, A Instalação do Medo
  • José Mata, Luto Branco
  • Jorge Paupério, Palhaços
Os vencedores desta e das demais categorias serão conhecidos numa cerimónia a realizar no próximo dia 2 de Setembro na Casa da Cultura de Figueiró dos Vinhos.
.
.

Shortcutz Figueiró dos Vinhos - nomeados de 2017

.
O Shortcutz Figueiró dos Vinhos divulgou há instantes os seus nomeados oficiais para aquela que será a sua primeira gala de aniversário. Os nomeados, decorrentes da votação mensal ao longo do último ano, para Melhor Curta do Ano e Prémio do Público são:
  • #Lingo, de Vicente Niro
  • Arcana, de Jerónimo Ribeiro Rocha
  • A Instalação do Medo, de Ricardo Leite
  • Marasmo, de Gonçalo Loureiro
  • Ode, de Ana Pio
  • Post-Mortem, de Belmiro Ribeiro
  • Pronto, Era Assim, de Joana Nogueira e Patrícia Rodrigues
  • Turp, de Liliana Gonçalves e Francisco Neves
  • Vícios para uma Família Feliz, de Tiago R. Santos
Os vencedores serão conhecidos no próximo dia 2 de Setembro no decorrer de uma cerimónia a realizar na Casa da Cultura de Figueiró dos Vinhos a partir das 21h30.
.
.

sexta-feira, 25 de agosto de 2017

Shortcutz Viseu - Melhor Actor 2017: os nomeados

.
Foram hoje divulgados pelo Shortcutz Viseu os nomeados na categoria de Melhor Actor que será premiado pela ocasião do seu quarto aniversário.
São eles:
  • Welket Bungué, Bastien
  • Cristóvão Carvalheiro, Post-Mortem
  • José Carlos Garcia, Jigging
  • Tiago Viegas, Jigging
Os vencedores desta e das demais categorias serão apenas anunciados na página oficial do Shortcutz Viseu a 13 de Setembro não existindo este ano, a realização de uma cerimónia oficial.
.
.

quinta-feira, 24 de agosto de 2017

Jay Thomas

.
1948 - 2017
.

Shortcutz Viseu - Melhor Som 2017: os nomeados

.
Depois de ontem ter anunciado os nomeados a Melhor Montagem, o Shortcutz Viseu divulgou hoje os seus nomeados na categoria de Melhor Som a premiar neste que será o seu quarto aniversário.
São eles:
  • Fosso, Ricardo Sousa
  • A Instalação do Medo, Tiago Cardoso
  • Marasmo, Tiago Cardoso
  • Post-Mortem, Jérémy Pouivet
Os vencedores desta e demais categorias serão, contrariamente ao que aconteceu nos últimos três anos, apenas anunciados na página oficial do Shortcutz Viseu a 13 de Setembro não existindo este ano, a realização de uma cerimónia oficial.
.
.

quarta-feira, 23 de agosto de 2017

Shortcutz Viseu - Melhor Montagem 2017: os nomeados

.
Depois dos nomeados a Melhor Curta do Ano e Melhor Actriz, o Shortcutz Viseu divulgou hoje os seus nomeados na categoria de Melhor Montagem.
São eles:
  • Cavallo, Joana Maria Sousa
  • Jigging, Ramón de los Santos
  • Mirror, Sara Eustáquio
  • Post-Mortem, Belmiro Ribeiro e João S. Santos
Os vencedores desta e demais categorias serão, contrariamente ao que aconteceu nos últimos três anos, apenas anunciados na página oficial do Shortcutz Viseu a 13 de Setembro não tendo, este ano, a realização de uma cerimónia oficial.
.
.

Fénix - Premio IberoAmericano de Cine 2017: a pré-selecção

.
Foram recentemente anunciadas as longas-metragem de ficção e documentário em formato de longa-metragem pré-seleccionados aos Fénix - Premio IberoAmericano de Cine. Entre os grandes sucessos do cinema Ibero-Americano encontram-se obras de Portugal e Espanha bem como de todos os países da América Latina e vários dos potenciais seleccionados nacionais aos Oscar na categoria de Filme Estrangeiro.
São os pré-seleccionados:
  • Amazona, de Clare Weiskopf (Colômbia)
  • El Amparo, de Rober Calzadilla (Colômbia/Venezuela)
  • El Año del Apocalipsis, de Rafael Arévalo (Perú)
  • Arábia, de Affonso Uchoa e João Dumans (Brasil)
  • Atrás Hay Relámpagos, de Julio Hernández Cordón (México/Costa Rica)
  • El Auge del Humano, de Eduardo Williams (Argentina/Brasil/Portugal)
  • Beduíno, de Julio Bressane (Brasil)
  • Belén, de Adriana Vila Guevara (Espanha/Venezuela)
  • El Candidato, de Daniel Hendler (Argentina/Uruguai)
  • Carpinteros, de José María Cabral (República Dominicana)
  • Casa Roshell, de Camila José Donoso (México/Chile)
  • El Ciudadano Ilustre, de Mariano Cohn e Gastón Duprat (Argentina/Espanha)
  • Colo, de Teresa Villaverde (Portugal/França)
  • Comboio de Sal e Açúcar, de Licínio Azevedo (Brasil/Portugal/França/Moçambique/África do Sul)
  • Como Me Da la Gana II, de Ignacio Agüero (Chile)
  • La Cordillera, de Santiago Mitre (Argentina/Espanha/França)
  • Cuatreros, de Albertina Carri (Argentina)
  • La Defensa del Dragón, de Natalia Santa (Colômbia)
  • As Duas Irenes, de Fabio Meira (Brasil)
  • Ejercicios de Memoria, de Paz Encina (Argentina/Paraguai/Alemanha/Qatar/França)
  • En Un Rincón del Alma, de Jorge Dalton (El Salvador)
  • Era o Hotel Cambridge, de Eliane Caffé (Brasil/Espanha/França)
  • Estiu 1993, de Carla Simón (Espanha)
  • Etiqueta No Rigurosa, de Cristina Herrera Bórquez (México)
  • A Fábrica de Nada, de Pedro Pinho (Portugal)
  • La Familia, de Gustavo Rondón Córdova (Chile/Venezuela/Noruega)
  • La Felicidad del Sonido, de Ana Endara Mislov (Panamá)
  • El Futuro Perfecto, de Nele Wohlatz (Agentina)
  • Gabriel e a Montanha, de Fellipe Gamarano Barbosa (Brasil/França)
  • Girasoles de Nicaragua, de Florence Jaugey (Nicarágua)
  • Hermia & Helena, de Matías Piñeiro (Argentina/EUA)
  • Las Hijas de Abril, de Michel Franco (México)
  • El Hombre de las Mil Caras, de Alberto Rodriguez (Espanha)
  • La Hora Azul, de Evelyne Pégot-Ogier (Perú)
  • Hoy Partido a las Tres, de Clarisa Navas (Argentina/Paraguai)
  • El Invierno, de Emiliano Torres (Argentina/França)
  • Jeffrey, de Yanillys Pérez (República Dominicana/França)
  • Jesus, de Fernando Guzzoni (Chile/Colômbia/Alemanha/França/Grécia)
  • Joaquim, de Marcelo Gomes (Brasil/Portugal)
  • Júlia Ist, de Elena Martín (Espanha)
  • Kékszakállú, de Gastón Solnicki (Argentina)
  • Kimura, de Aldo Rey Valderrama (Panamá)
  • La Libertad del Diablo, de Everardo González (México)
  • El Limonero Real, de Gustavo Fontán (Argentina)
  • La Luz en el Cerro, de Ricardo Velarde (Perú)
  • Mala Junta, de Claudia Huaiquimilla (Chile)
  • María (y los Demás), de Nely Reguerra (Espanha)
  • Martírio, de Vincent Carelli, Ernesto de Carvalho e Tatiana Almeida (Brasil)
  • Medea, de Alexandra Latishev Salazar (Argentina/Chile/Costa Rica)
  • Mirando al Cielo, de Guzmán García (Uruguai)
  • Mona, Tesoro del Caribe, de Sonia Fritz (Puerto Rico)
  • A Monster Calls, de Juan Antonio Bayona (Espanha/EUA)
  • La Mujer del Animal, de Víctor Gavíria (Colômbia)
  • Mutlab, de Elena Gutierrez (Costa Rica)
  • Las Mujeres Deciden, de Xiana Yago (Equador)
  • Niñato, de Adrián Orr (Espanha)
  • No Intenso Agora, de João Moreira Salles (Brasil)
  • La Novia del Desierto, de Cecília Atán e Valeria Pivato (Argentina/Chile)
  • O Ornitólogo, de João Pedro Rodrigues (Portugal/Brasil/França)
  • El Otro Hermano, de Israel Adrián Caetano (Argentina/Espanha/Uruguai/França)
  • El Pacto de Adriana, de Lissette Orozco (Chile)
  • El Paletero, de Michael Bendeck (Honduras)
  • Pariente, de Iván D. Gaona (Colômbia)
  • La Pelicula de Nuestra Vida, de Enrique Baró Ubach (Espanha)
  • Los Perros, de Marcela Said (Chile/França)
  • Que Dios Nos Perdone, de Rodrigo Sorogoyen (Espanha)
  • La Reconquista, de Jonás Trueba (Espanha)
  • La Región Salvaje, de Amat Escalante (México/Alemanha/França/Dinamarca/Suíça/Noruega)
  • Resonancia, de José Saldaña (Guatemala)
  • Rey, de Niles Atallah (Chile/Holanda/Alemanha/Qatar/França)
  • Río Verde. El Tiempo de los Yakurunas, de Alvaro Sarmiento e Diego Sarmiento (Perú)
  • Sambá, de Laura Amelia Guzmán e Israel Cárdenas (República Dominicana)
  • Santa y Andrés, de Carlos Lechuga (Colômbia/Cuba/França)
  • São Jorge, de Marco Martins (Portugal)
  • Señorita María: La Falda de la Montaña, de Rubén Mendoza (Colômbia)
  • Severo Secreto, de Cruz Gustavo Pérez e Oneyda González (Cuba)
  • Sin Muertos No Hay Carnaval, de Sebastián Cordero (México/Equador/Alemanha)
  • Spell Reel, de Filipa César (Portugal/Alemanha/França/Guiné-Bissau)
  • Sueño en Otro Idioma, de Ernesto Contreras (México/Holanda)
  • Tarde para la Ira, de Raúl Arévalo (Espanha)
  • El Teatro de la Desaparición, de Adrián Villar Rojas (Argentina/Coreia do Sul)
  • El Techo, de Patricia Ramos Hernández (Cuba/Nicarágua)
  • La Última Tarde, de Joel Calero (Colômbia/Perú)
  • Últimos Días en La Habana, de Fernando Pérez (Espanha/Cuba)
  • Una Mujer Fantástica, de Sebastián Lelio (Espanha/Chile/Alemanha/EUA)
  • La Vendedora de Fósforos, de Alejo Moguillansky (Argentina)
  • Viejo Calavera, de Kiro Russo (Bolívia/Qatar)
  • El Vigilante, de Diego Ross (México)
  • X 500, de Juan Andrés Arango (México/Colômbia/Canadá)
  • Yo Soy un Político, de Javier Colón (Puerto Rico)
A quarta edição dos Prémios Fénix do Cinema Ibero-Americano irá decorrer no dia 6 de Dezembro no Teatro de la Ciudad Esperanza Iris, na Cidade do México.
.
.

terça-feira, 22 de agosto de 2017

Shortcutz Viseu - Melhor Actriz 2017: as nomeadas

.
O Shortcutz Viseu iniciou ontem a divulgação oficial dos seus nomeados. Hoje foram anunciadas as nomeadas a Melhor Actriz do Ano por entre a selecção das curtas-metragens que foram exibidas ao longo do último ano nas sessões mensais.
São as nomeadas:
  • Mafalda Banquart, Post-Mortem
  • Helena Canhoto, Vícios para uma Família Feliz
  • Maria do Céu Guerra, Bastien
  • Margarida Moreira, A Instalação do Medo
Contrariamente ao que aconteceu nos últimos três anos, o quarto aniversário do Shortcutz Viseu não será celebrado com a realização de uma cerimónia sendo que os vencedores serão anunciados na sua página oficial no próximo dia 13 de Setembro.
.
.

European Film Awards 2017: longas-metragens pré-seleccionadas

.
A Academia Europeia de Cinema divulgou hoje as cinquenta e uma longa-metragens pré-seleccionadas aos European Film Awards de 2017.
Com trinta e um países representados, os mais de três mil membros da Academia irão agora decidir quais os nomeados nas categorias de Filme, Realizador, Actor, Actriz e Argumento deixando para uma comissão de especialistas os vencedores nas categorias de Fotografia, Montagem, Design de Produção, Guarda-Roupa, Caracterização, Música Original e Som.
São os pré-seleccionados:
  • 120 Battements par Minute, de Robin Campillo (França)
  • Ana, Mon Amour, de Calin Peter Netzer (Roménia/Alemanha/França)
  • Baba Z Ledu, de Bohdan Sláma (República Checa/Eslováquia/França)
  • Bezbog, de Ralitza Petrova (Bulgária/Dinamarca/França)
  • Brimstone, de Martin Koolhoven (Holanda/Alemanha/Bélgica/França/Suécia/Reino Unido/Hungria)
  • A Ciambra, de Jonas Carpignano (Itália/EUA/França/Suécia)
  • A Date for Mad Mary, de Darren Thornton (Irlanda)
  • Du Forsvinder, de Peter Schonau Fog (Dinamarca/Suécia)
  • Estiu 1993, de Carla Simón (Espanha)
  • A Fábrica de Nada, de Pedro Pinho (Portugal)
  • Fortunata, de Sergio Castellitto (Itália)
  • Frantz, de François Ozon (França/Alemanha)
  • Frost, de Sharunas Bartas (Lituânia/França/Polónia/Ucrânia)
  • O Gios tis Sofias, de Elina Psykou (Grécia/Bulgária/França)
  • Happy End, de Michael Haneke (França/Alemanha/Áustria)
  • Hjartasteinn, de Gudmundur Arnar Gudmundsson (Islândia/Dinamarca)
  • Home, de Fien Troch (Bélgica)
  • In Zeiten des Abnehmenden Lichts, de Matti Geschonneck (Alemanha)
  • Indivisibili, de Edoardo De Angelis (Itália)
  • Insyriated, de Philippe Van Leeuw (Bélgica/França)
  • Istanbul Kirmizisi, de Ferzan Ozpetek (Turquia/Itália)
  • Jupiter Holdja, de Kornél Mundruczó (Hungria/Alemanha)
  • The Killing of a Sacred Deer, de Yorgos Lanthimos (Irlanda/Reino Unido)
  • Koca Dünya, de Reha Erdem (Turquia)
  • Kongens Nei, de Erik Poppe (Noruega/Dinamarca/Suécia/Irlanda)
  • Krotkaya, de Sergei Loznitsa (França/Alemanha/Lituânia/Holanda)
  • Lady Macbeth, de William Oldroyd (Reino Unido)
  • Layla M., de Mijke de Jong (Holanda/Jordânia/Bélgica/Alemanha)
  • A Monster Calls, de Juan Antonio Bayona (Espanha)
  • Moya Babusya Fani Kaplan, de Olena Demyanenko (Ucrânia)
  • Nelyubov, de Andrey Zvyagintsev (Rússia/Bélgica/Alemanha/França)
  • Ostatnia Rodzina, de Jan P. Matuszynski (Polónia)
  • The Party, de Sally Potter (Reino Unido)
  • Pokot, de Agnieszka Holland e Katarzyna Adamik (Polónia/Alemanha/República Checa/Suécia/Eslováquia)
  • Powidoki, de Andrzej Wajda (Polónia)
  • Rai, de Andrei Konchalovsky (Rússia)
  • Rekvijem za Gospodu J., de Bojan Vuletic (Sérvia/Bulgária/Macedónia/Rússia/França)
  • Return to Montauk, de Volker Schlöndorff (Alemanha/França/Irlanda)
  • Sameblod, de Amanda Kernell (Suécia/Dinamarca/Noruega)
  • The Square, de Ruben Östlund  (Suécia/França/Alemanha/Dinamarca)
  • Tarde para la Ira, de Raúl Arévalo (Espanha)
  • Teströl es Lelekröl, de Ildikó Enyedi (Hungria)
  • Toivon Tuolla Puolen, de Aki Kaurismäki (Finlândia/Alemanha)
  • Tom of Finland, de Dome Karukoski (Finlândia/Alemanha/Suécia/Dinamarca)
  • Ucitelka, de Jan Hrebejk (Eslováquia/República Checa)
  • Un Beau Soleil Intérieur, de Claire Denis (França)
  • Un Juif pour l'Exemple, de Jacob Berger (Suíça)
  • Ustav Republike Hrvayske, de Rajko Grlic (Croácia/Eslovénia/República Checa/Macedónia)
  • Vor der Morgenröte, de Maria Schrader (Áustria/Alemanha/França)
  • Western, de Valeska Grisebach (Alemanha/Bulgária/Áustria)
  • Wilde Maus, de Josef Hader (Áustria)
Os nomeados serão conhecidos em Novembro durante o Festival de Cinema Europeu de Sevilha, em Espanha e os vencedores revelados numa cerimónia a realizar no próximo dia 9 de Dezembro, em Berlim, na Alemanha.
.
.

segunda-feira, 21 de agosto de 2017

Shortcutz Viseu - Melhor Curta do Ano 2017: as nomeadas

.
O Shortcutz Viseu iniciou hoje a divulgação oficial dos seus nomeados. Hoje foram anunciadas as nomeadas a Melhor Curta-Metragem do Ano numa escolha que fora feita ao longo do ano pelos seus jurados.
São elas:
  • Cavallo, de Joana Maria Sousa
  • Fosso, de Rui Costa, Paulo Varela, Ricardo Sousa, Bruno Lamelas e Vasco Simões
  • A Instalação do Medo, de Ricardo Leite
  • Jigging, de Ramón de los Santos
  • Marasmo, de Gonçalo Loureiro
  • Post-Mortem, de Belmiro Ribeiro
  • A Rapariga de Berlim, de Bruno Freitas Leal
  • A Terceira Metade, de Virgílio Pinto e Rodrigo Morais
Contrariamente ao que acontecer nos últimos anos, o quarto aniversário do Shortcutz Viseu não ocorrerá de forma física mas os vencedores desta e demais categorias serão anunciados na sua página oficial no próximo dia 13 de Setembro.
.
.

Jerry Lewis

.
1926 - 2017
.

sábado, 19 de agosto de 2017

.
.

sexta-feira, 18 de agosto de 2017

.

quinta-feira, 17 de agosto de 2017

Sonny Landham

.
1941 - 2017
.

terça-feira, 15 de agosto de 2017

European Film Awards 2017: Documentários pré-seleccionados

.
A Academia Europeia de Cinema divulgou hoje os quinze documentários pré-seleccionados ao EFA de Melhor Documentário em formato de Longa-Metragem recomendados pelos dez festivais de cinema associados - IDFA (Holanda), CPH:DOX (Dinamarca), Visions du Réel (Suíça), DokLeipzig (Alemanha), DocLisboa (Portugal), Thessaloniki Documentary Film Festival (Grécia), Jihlava (República Checa), Cinéma du Réel (França), Krakow Film Festival (Polónia) e Sheffield Doc/Fest( Reino Unido).
Um comité composto pelos membros da Academia Roberto Cicutto (Itália), Vanessa Henneman (Holanda), Marek Rozembaum (Israel), Sari Volanen (Finlândia) e Paul Pauwels (Bélgica), escolheu os quinze finalistas. São eles:
  • Austerlitz, de Sergei Loznitsa (Alemanha)
  • La Chana, de Lucija Stojevic (Espanha/Islândia/EUA)
  • Dead Donkeys Fear No Hyenas, de Joakim Demmer (Suécia/Alemanha/Finlândia)
  • The Good Postman, de Tonislav Hristov (Finlândia/Bulgária)
  • How to Meet a Mermaid, de Coco Schrijber (Holanda/Dinamarca)
  • In Loco Parentis, de Neasa Ní Chianáin e David Rane (Irlanda/Espanha)
  • Komunia, de Anna Zamecka (Polónia)
  • Liberami, de Federica Di Giacomo (Itália/França)
  • Nothingwood, de Sonia Kronlund (França/Alemanha)
  • A l'Ouest du Jourdain, de Amos Gitai (França)
  • Stranger in Paradise, de Guido Hendrikx (Holanda)
  • Taste of Cement, de Ziad Kalthoum (Alemanha/Líbano/Síria/Emiratos Árabes Unidos/Qatar)
  • Ultra, de Balazs Simonyi (Hungria/Grécia)
  • Le Venerable W, de Barbet Schroeder (França/Suíça)
  • The War Show, de Andreas Dalsgaard e Obaídah Zytoon (Dinamarca/Síria/Finlândia)
.
Os nomeados serão conhecidos durante o mês de Novembro e os vencedores revelados durante uma cerimónia que se irá realizar em Berlim a 9 de Dezembro seguinte.
.
.